sábado, 27 de maio de 2017

Dicas para se tornar um atleta em powerlifting

Por Hugo Quinteiro



Resolvi escrever esse texto por dois motivos:
1° - ajudar alunos principiantes com dúvidas comuns a se prepararem para seu primeiro campeonato;
2° - (mais profundo) tem a ver com o modo de encarar a vida de atleta com o atual panorama de gestão do esporte em terras brasileiras e internacionais.
Claro que, como dicas, não passam de impressões pessoais e nem de perto pretendo escrever uma verdade universal. Você pode se identificar com algumas coisas, seguir e dar certo ou não se identificar e não seguir as dicas. Cada um é responsável pelo seu próprio caminho, né?

PARTE I: COMO SE PREPARAR PARA UM CAMPEONATO

1- Tenha um plano
Treinar força é legal e divertido. Escolher competir em um esporte de força pode não ser a mesma coisa.
Procure um modelo de periodização (ou contrate um treinador especializado) e SIGA O QUE ELE PROPUSER.
Das características mais importantes de um atleta, ao meu ver, estão a capacidade dele em obedecer e a de cumprir um planejamento. Se  isso não é algo fácil pra você, repense se deve ou não competir e se realmente quer ser um atleta.

2- Não se preocupe com cargas
Querer saber qual carga mínima para uma competição ou se o que você fez na academia é um bom número não é uma boa maneira de pensar como um futuro atleta. Vá ao seu primeiro campeonato com o pensamento de vivenciar o esporte. O que você faz na academia, sozinho e sem ninguém julgando, não tem muita validade comparativa.

3- Visite um campeonato
Ir à um campeonato como espectador ou para ajudar um amigo é algo importante, pois você vai entender a dinâmica do esporte (chato, demorado e com longos intervalos entre uma pedida e outra).
Estar previamente em um campeonato vai ajudar na hora em que chegar a sua vez, porque aquele ambiente e dinâmica não serão novidades mais pra você e vão gerar menos ansiedade.

4- Não se preocupe com seu peso corporal
Em seu primeiro campeonato, não faça loucuras com a balança. Vá com o seu peso habitual e sua dieta habitual. Manipular peso corporal é algo para atletas avançados que estão buscando marcas e situações específicas; você está começando, ou seja, esse não é o seu caso.

5- Leia o livro de regras e participe do congresso técnico

Dúvidas comuns (quais comandos serão dados, como fazer as pedidas ou como mudá-las) são facilmente solucionadas com uma simples leitura do livro de regras e prestando atenção no congresso técnico que os organizadores promovem. Desconhecer as regras é considerado uma falta de educação e um certo desleixo de sua parte. Evite dar trabalho a quem já está completamente atarefado (organizadores e árbitros).

6- Acostume-se com grandes intervalos




Os intervalos entre uma pedida e outra em um campeonato são de, pelo menos, 15 minutos. Se esse tempo todo fizer você “esfriar” ou perder o foco, treine isso durante a sua preparação. As regras não vão mudar quanto a esse tempo e você deve se adaptar a isso.

7- Fique atento com o aquecimento

Aquecimento no powerlifting possui alguns detalhes:
a- faça o máximo dele em movimentos únicos. Perceba o esforço em cada movimento e evite se desgastar;
b- NUNCA faça repetição máxima ou falhe em aquecimento (afinal, é AQUECIMENTO);
c- Fique de olho na dinâmica do tablado competitivo para aquecer no tempo certo. Termine seu aquecimento aproximadamente 15 minutos antes de chegar a sua vez.

8- Valide suas marcas



  Sua principal preocupação em um primeiro campeonato é fazer, pelo menos, uma marca válida de cada movimento e não ser desqualificado. Não se preocupe se você fez mais no seu treino (dificilmente você treina em equipamento oficial e calibrado e vai perceber que isso faz uma grande diferença). Afinal, um ambiente novo, com 3 árbitros te julgando, cheio de comandos a serem rigorosamente obedecidos e mais 3 spotters por perto é bem diferente daquele que você está acostumado.

9- Primeira pedida é para ser válida

Se você fez uma carga apenas uma vez na sua vida na academia em um dia que você estava feliz, motivado e se sentindo bem, JAMAIS inicie um campeonato com essa carga. Sempre faça a primeira pedida com uma carga que você tem CERTEZA que é capaz de fazer até com algum imprevisto, como uma pequena lesão, por exemplo. Primeira pedida NUNCA é pra arriscar. Use seu aquecimento como parâmetro para saber se sua primeira pedida está ok ou se precisa mudar.

10- Campeonato não começa enquanto a barra não toca o solo



Que fique bem claro, aos que competem na modalidade full power, ou seja, os 3 movimentos,  que o campeonato não começa até o primeiro levantamento terra válido.
Se você já estiver cansado, competindo há pelo menos quatro horas e se, por acaso, não fizer um levantamento terra válido, você estará DESCLASSIFICADO da mesma forma que um atleta que não conseguiu fazer um agachamento válido, por exemplo. Tenha atenção e cuidado redobrado no aquecimento pra esse levantamento e não tenha vergonha nenhuma em baixar a primeira pedida para garantir seu total, que é a soma dos 3 melhores levantamentos válidos, e continuar no campeonato.

11- Respeite os árbitros e os outros oficiais



Árbitros estão em um campeonato para julgar e isso é uma tarefa complicada, passível de erros, porém, a maneira que você se dirige a eles deve ser SEMPRE respeitosa. Todos os que estão trabalhando em um campeonato merecem o nosso máximo respeito. Um exemplo: eu agradeci - de maneira sincera - um spotter que se antecipou e me agarrou em uma tentativa de agachamento em um campeonato mundial. Ele veio me pedir desculpas depois e eu disse “Você não precisa se desculpar pois achou que eu ia perder o movimento e agiu de maneira a salvar minha vida. Eu que agradeço por isso”.
Sim! Dá pra morrer em um agachamento ou supino catastrófico!


PARTE II: VIDA DE ATLETA

1- Não é fácil

Nosso país não conta com apoio para a modalidade: existem poucas bolsas disponíveis, poucos locais (pagos) para se treinar adequadamente e materiais são importados e, consequentemente, caros. Encare o powerlifting como um hobby caro e não como uma fonte de renda que fica mais fácil de administrar suas finanças a partir deste pensamento.

2- Vai doer… e muito.


Lembra do conceito de atividade física como forma de saúde e bem-estar? Pois é… ESQUEÇA. Esporte no alto rendimento é viver com dor e ser confrontado, quase que diariamente, com o motivo da sua escolha de estar ali fazendo aquele treino.
Costumo perguntar aos que me dizem ter uma “relação de amor” com o treino de força:
- Você é capaz de odiar algo que ama e seguir fazendo?

3- Ninguém vai reconhecer você na rua

O powerlifting é um micro universo com pouquíssimas pessoas e, no Brasil, a coisa é mais restrita ainda. Se você acha que vai ganhar um mundial e vai ser recebido com uma festa no aeroporto, mude de esporte. Futebol masculino profissional é onde você deve tentar esse tipo de fama.

4- Agachar 500kg não faz de você melhor que ninguém

Existe um certo “powercentrismo” sobre a força que faz com que alguns atletas de powerlifting se achem superiores às pessoas por causa de suas marcas. Gente que acredita que que sua marca é algo que a diferencia do resto do mundo ou que estar na elite mundial do esporte é algo importante... “MENAS” amiguinho…. beeeem “MENAS”.

5- O esporte continuará sem você

Como disse anteriormente, por ser um micro universo, esse é um esporte perfeito para pessoas que acham que são fundamentais ou vanguardistas em alguma coisa realizarem seus desejos patológicos de protagonismo…
Sabe o famoso velho saudosista que dizia “no meu tempo as coisas eram certas” ou “na minha época, não existia nada disso aqui… tudo mato”?
Pois é! Sempre haverá alguém com esse perfil para você encontrar pela frente.
Gente que acha que, se morrer hoje, o sol não nascerá mais amanhã. Vale à pena aprender com gente assim a como NÃO agir.

6- Seu recorde ou sua marca serão quebrados

Por maior que seja seu recorde ou marca, eles serão quebrados. O mundo é muito grande, tem gente muito forte por aí e isso vai acontecer. Não ache que, só porque você fez o “impossível”, ninguém nunca mais vai superar.
           Vai sim, tá!!! E por muito…
            Lide com esse fato!

7- Você não é, nem nunca será um guerreiro

Um atleta não é um guerreiro porque esporte não é guerra. Encarar os desafios que você escolheu - e está nessa vida porque quer - como uma batalha ou algo com maior importância do que tem realmente, é voltar no tempo dos gladiadores e batalhas da era pão e circo do império romano onde seu “sangue” só vai servir para entreter o público. Como disse anteriormente, não é um caminho fácil. Tentar fazer disso uma “guerra” soa, no mínimo, pueril.

8- Aprenda a ensinar


Chegar ao alto rendimento de maneira consciente e sensata, apresenta uma situação muito interessante e que devia ser mais estimulada: a possibilidade de ensinar aquilo que aprendeu.

Conhecimento não é algo pra ficar guardado no fundo da gaveta a sete chaves ou morrer com você. Creio que a única forma de imortalidade é a transmissão do seu conhecimento, ou seja, esse é o verdadeiro legado de um atleta de powerlifting as gerações futuras.

seja o primeiro a comentar!